Paraíso

[Este artigo é um dos apêndices do Comentário Ritchie do NT vol 08 — II Coríntios, de autoria de Albert McShane e publicado por esta editora.]

A palavra “Paraíso” parece ter vindo de uma palavra persa cujo significado é “área de caça”, ou “jardim”. Salomão foi o primeiro escritor a introduzi-la nas Escrituras Hebraicas, e usou-a duas vezes (Ec 2:5 e Ct 4:13), onde é traduzida “pomar”. Aparece também em Neemias 2:8, traduzida “jardim”. Entretanto, a LXX usa a palavra “paraíso” para o jardim do Éden, e por causa disto muitos chamam aquele lugar por este nome.

Tréplica

Uma resposta resumida ao livro “Ao que Deus purificou”

Recebi há algumas semanas uma cópia de um livro intitulado “Ao que Deus purificou”, que é a tradução do livro “What God hath cleansed” (a edição em português não faz referência ao título original), escrito por Robert Revie (meu irmão na fé e parente segundo a carne). O original em inglês foi publicado na Escócia em 2012; a edição em português é datada de 2017. Este livro foi escrito em resposta a outro livro intitulado “What God hath joined” (“O que Deus ajuntou”), editado por William Banks e Tom Wilson e publicado (também na Escócia) em 2005. “What God hath joined” foi traduzido para o português por Samuel e Ronnie Davidson, e sua primeira edição brasileira foi publicada pela Editora Sã Doutrina (pela qual sou responsável) em 2010. “O que Deus ajuntou” está na sua quarta edição em português (as outras edições são de 2013, 2015 e 2017).

O que Deus ajuntou … (m)

Cap. 12 — Resumo

James Burnett

Este livro é o produto de muito estudo diligente e pesquisa meticulosa. Muito tempo e esforço foi dedicado a este trabalho, e é o desejo e a oração de todos que possa trazer respostas à muitas perguntas. O verdadeiro valor do livro está no fato de que tudo o que é ensinado nele tem base na Palavra de Deus. Ele está, literalmente, saturado das Santas Escrituras. As mentes de muitas pessoas estão confusas, e este livro procura tratar de muitos problemas perplexos e muitas passagens difíceis. É a opinião deste escritor que o livro foi bem sucedido neste seu propósito.

O que Deus ajuntou … (l)

Cap. 11 — O pecado de sodomia

James R Baker

Introdução

A palavra “sodomia” é geralmente usada para descrever práticas carnais não naturais, mencionadas pela primeira vez em Gênesis 18 e 19, em relação a Sodoma e Gomorra. Mais especificamente refere-se ao termo mais comum, “homossexualidade”. Veremos mais adiante se estamos certos em igualar estes dois pecados. Encontramos outras referências a este pecado específico em várias partes da revelação progressiva da Bíblia. As referências principais serão consideradas neste artigo.

O que Deus ajuntou … (k)

Cap. 10 — O adultério pode ser perpétuo?

Thomas Wilson

Alguns princípios

Quando o Senhor Jesus confrontou a mulher samaritana sobre o seu pecado, ambos concordaram que o relacionamento dela não podia ser honrado por Deus porque não era um matrimônio. A mulher reconheceu que o homem com quem estava não era seu marido quando disse: “Não tenho marido” (Jo 4:17). Talvez a intenção desta afirmação fosse enganar, mas o Senhor não deixa nenhuma dúvida sobre o Seu julgamento deste relacionamento: “… o que agora tens não é teu marido” (Jo 4:18). Qualquer que fosse a natureza do seu relacionamento, ela e seu parceiro foram condenados, e também o seu relacionamento.

O que Deus ajuntou … (j)

Cap. 9 — Submissão e consideração no matrimônio (I Pe 3:1-7)

Brian Currie

Na sua primeira epístola, Pedro está escrevendo àqueles que estão sob grande pressão e perseguição. Ele sabe que esta perseguição vai piorar e afetar todo aspecto da vida, inclusive a família. Assim, em I Pe 3:1-7 ele trata do relacionamento entre marido e esposa. Este não é o conselho de um novato ou de alguém que nunca se casou. Pedro escreve como homem casado e maduro, quase no final da sua vida, e portanto com grande experiência que serve como base para os seus conselhos. Ele foi também companheiro do Senhor Jesus, e seria correto esperar que seu ensino refletisse o ensino do seu Mestre, a Quem ele serviu com tanta devoção.

O que Deus ajuntou … (i)

Cap. 8 — A vontade de Deus, a vossa santificação (I Ts 4:1-9)

Thomas Wilson

Entre as primeiras indicações que temos da seriedade de pecado sexual, está o aviso que Deus deu a Abimeleque, o rei de Gerar, num sonho: “Eis que morto serás por causa da mulher que tomaste; porque ela tem marido” (Gn 20:3). Aquela notícia espantou todo o palácio, pois compartilhavam do pensamento do rei de que o juízo de Deus sobre este pecado poderia destruir, não apenas o seu rei, mas também a nação toda. Parecia que Abimeleque, na linguagem de I Ts 4:6, tinha defraudado Abraão, seu hóspede. Também é notável como Deus discerniu os atos de Abimeleque ao confirmar que o rei tinha agido com integridade de coração quando confiou na palavra de Abraão de que Sara era sua irmã. Sem esta intervenção divina ele teria pecado em ignorância. Fica bem claro que o pecado de defraudar alguém em assuntos sexuais era pecado grave naquele tempo.

O que Deus ajuntou … (h)

Cap. 7 — O padrão supremo do casamento aplicado à Igreja (Ef 5)

James V Patterson

Introdução

O ápice da revelação divina sobre o casamento é encontrado em Efésios 5. Com percepção profunda, Paulo revela doutrina baseada na verdade fundamental relacionada a Gn 2:24: “Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne”. Efésios 5 é o monte alto do qual podemos avistar todos os aspectos do vínculo matrimonial. Ninguém que tenha compreendido a importância da doutrina estabelecida aqui pode, honestamente, justificar o divórcio, nem pensar em tomar outra esposa enquanto a primeira ainda vive. Alguns ensinam que a figura usada aqui não deve ser enfatizada demais, pois a morte danifica a figura, assim como o divórcio. Contudo, este não é um ensino sadio. Enquanto todos os casamentos são desfeitos pela morte, o vínculo entre Cristo e a Igreja não pode ser desfeito, porque nem uma das partes pode morrer. Na maioria dos casos onde ocorre o divórcio, embora não em todos, a razão principal é para facilitar um novo casamento. À luz de Efésios 5, isto rebaixa a majestade da expressão do matrimônio entre Cristo e a Igreja. Aqueles que rejeitam a continuidade do casamento por toda a vida negam na sua vida que Cristo e a Igreja são a expressão ideal do matrimônio, que estava no coração e mente de Deus mesmo antes da fundação do mundo. Uma apreciação desta verdade e das consequências práticas que isto exige dos casados, evitará o divórcio e o pecado de um novo casamento.

O que Deus ajuntou … (g)

Cap. 6 — Uma exposição sobre o matrimônio em I Coríntios 7

James R Baker

A igreja em Corinto tinha escrito uma carta ao apóstolo Paulo, composta de uma série de cinco perguntas. As primeiras duas são sobre questões ligadas ao matrimônio, e este cap. 7 é dedicado às suas respostas. Encontramos as outras perguntas em 8:1; 12:1 e 16:1. Elas se referem a vários assuntos, e o apóstolo as responde detalhadamente.

O que Deus ajuntou … (f)

Cap. 5 — Uma só carne

Brian Currie

A sociedade moderna tem aceitado o princípio de que tudo é relativo, nada é absoluto, e com isso está vivendo uma degeneração moral incrivelmente rápida. Quando Deus e Sua Palavra são excluídos, desobedecidos e deixados de lado, então a estrutura da sociedade fica sob uma tremenda pressão, e o colapso logo segue. É com este triste pano de fundo que este artigo está sendo escrito.

O que Deus ajuntou … (e)

Cap. 4 — O matrimônio em Romanos 7

James R Baker
Embora Paulo nunca tivesse visitado a igreja em Roma, ele tinha um profundo interesse nela. Sendo o apóstolo aos gentios, ele sentia a sua responsabilidade em ajudar os santos ali na doutrina, e também na prática do seu desenvolvimento espiritual.

O que Deus ajuntou … (d)

Cap. 3 — O ensino do Senhor sobre o divórcio

William Banks

Mateus 19:1-15, e passagens relacionadas



O que Deus ajuntou … (c)

Cap. 2 — O matrimônio pertence à Criação ou ao Cristianismo?

James D McColl

Antes de considerar esta pergunta diretamente, vamos examinar o conceito do casamento, de uma perspectiva bíblica. Afinal de contas, a instituição do casamento originou-se com Deus.

O que Deus ajuntou … (a)

Prefácio à edição britânica

É com alegria que os editores colocam este livro nas mãos do público, orando para que seja de ajuda espiritual permanente para o povo do Senhor. Vivemos em dias quando o casamento tem pouco valor. É muito necessário que seu alicerce espiritual seja claramente entendido, e que o casamento seja entendido de maneira correta, à luz das Escrituras.

O que Deus ajuntou … (b)

Cap. 1 — Divórcio e novo casamento: introdução

John M Riddle

Antigamente, quando o divórcio e um novo casamento eram relativamente raros, este assunto era quase que só um assunto acadêmico. Infelizmente, este não é mais o caso hoje em dia. As últimas estatísticas sugerem que 50% dos casamentos terminam num tribunal de divórcio. Enquanto esta porcentagem não se aplica aos crentes, há também, lamentavelmente, um aumento na incidência de casamentos desfeitos entre o povo do Senhor. Por isso é importante enfatizar, não apenas a gravidade do divórcio, mas também a seriedade do casamento.

Divórcio

Prefácio


[Texto completo do livreto de mesmo nome publicado por esta editora]


Este livreto não é obra de um só escritor. Também não é, porém, uma obra anônima, escrita por alguém que não tem a coragem de assumir o que escreveu. Numa tentativa sincera de oferecer um estudo amplo sobre este assunto tão delicado e doloroso, compilamos este livreto de escritos e anotações de vários irmãos, tais como James Jardine (João Pessoa), Samuel R. Davidson (Santarém), Severo M. de Oliveira (Paranavaí) e Ronald E. Watterson (Descalvado). Os irmãos mencionados acima trabalharam em conjunto, sendo que o irmão Ronald foi o responsável pela redação final do texto.

O Sábado

Artigo escrito pelo meu pai, Ronald Watterson (21/11/1935 a 30/05/2016).

O Sábado é mencionado frequentemente na Bíblia, especialmente no Velho Testamento. Estas constantes menções indicam que o assunto é muito importante, e merece um estudo cuidadoso.

Em nossos dias é um assunto polêmico, mas nem por isso devemos deixar de examiná-lo. Devemos, sim, deixar de lado o que os homens falam e considerar o que as Escrituras Sagradas dizem a respeito.

A saudação

O texto abaixo é a íntegra do livrete de mesmo título publicado pela eSd [comprar]

Introdução

Em nossos dias, é comum ouvir saudações tais como: “A Paz do Senhor, irmão” ou “A Paz de Deus”. Parece estar aumentando o número de crentes que saúda os seus irmãos desta maneira. Diga-se, porém, que estes crentes não usam estas saudações para todas as pessoas; usam-nas apenas ao encontrar-se com um irmão na fé.

Penso que sim, mas não tenho certeza ...

From rationalfatihs.com
Perdoem a ambiguidade do título deste artigo. Ou talvez não ... pois a intenção deste pequeno texto é justamente enfatizar que nosso conhecimento, sempre limitado, não nos permite saber tudo sobre todas as coisas.

Por defendermos  tão categoricamente a necessidade de obedecer ao Senhor em tudo, e que a ideia moderna de que qualquer forma de servir a Deus é aceitável, podemos passar a impressão de que não existe dúvida sobre nenhum detalhe das Escrituras, por menor que seja. Preciso confessar que não penso assim, e começo esta confissão com um exemplo que li hoje.


Aborto

O texto abaixo é a íntegra do cap. 9 do livro “Casamento e Família”, escrito pelo médico A. J. Higgins e publicado pela Editora Sã Doutrina em 1997. O livro tem 146 págs. e custa somente R$ 5,00. [comprar]

No dia 9 de agosto de 1974, na sala oriental da Casa Branca, o presidente dos Estados Unidos, Gerald Ford, dirigiu-se à nação. Seu discurso é lembrado pela sua frase inicial, uma frase que, na opinião de muitos, foi o seu pronunciamento oficial mais memorável: “Nosso longo pesadelo nacional acabou”. O presidente Ford referia-se ao caso Watergate, a questão política e legal que resultou na primeira renúncia na história presidencial daquele país. Apesar da sinceridade das palavras do sr. Ford, ele provavelmente não sabia que o grande pesadelo nacional dos americanos havia começado poucos meses antes.

Seol e Hades

O texto abaixo é a íntegra do livrete de mesmo título publicado pela eSd [comprar]


As duas palavras do título deste artigo talvez pareçam estranhas a muitos leitores; é porque não são palavras portuguesas. Seol é uma palavra hebraica, e Hades é grega. São palavras que aparecem frequentemente no texto original da Bíblia (Seol ocorre 65 vezes no Velho Testamento, e Hades, 10 vezes no Novo Testamento), e é importante que saibamos o que elas significam.

O futuro eterno

Com toda a clareza e precisão a Bíblia ensina-nos que há felicidade eterna para os salvos e sofrimento eterno para os perdidos. Os salvos estarão sempre com o Senhor, e os perdidos serão banidos eternamente da Sua presença. A Bíblia fala com linguagem muito expressiva do gozo eterno dos salvos, e usa linguagem igualmente impressionante quando fala da tristeza eterna dos perdidos.

Há esperança?

A vida tem muitos desafios e desapontamentos. Vivemos num mundo competitivo e difícil, e tentar conciliar as necessidades da família, do trabalho e das finanças nos deixa totalmente estressados! Conviver com doença e morte aumentam as complexidades da vida. Sonhos se desmoronam, corações são quebrantados, esperanças se dissipam.

É possível ter certeza!

Quando o famoso cientista M. Faraday estava a morrer, lhe perguntaram sobre suas expectativas quanto à alma. Ele disse: “Eu não sei sobre expectativas — estou descansando em certezas”. Depois acrescentou: “Eu sei!”

Onde celebrar a Ceia?

O texto abaixo é a íntegra do folheto de mesmo título publicado pela eSd




É bíblico celebrar a Ceia do Senhor fora do contexto duma igreja local?

Os anos ocultos de Cristo

O texto abaixo é a íntegra do folheto de mesmo título publicado pela eSd


“E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens” (Lc 2:52).

Cobrindo e Descobrindo a Cabeça

O texto abaixo faz parte do livrete “O Véu” da série “Princípios de Igreja” publicado pela Editora Sã Doutrina. [comprar]


Em todas as reuniões de todas as igrejas locais os irmãos devem estar com suas cabeças descobertas, e as irmãs com suas cabeças cobertas. Este é o ensino simples apresentado nas Escrituras (um ensino, é verdade, muito questionado hoje em dia). Deus diz: “O homem, pois, não deve cobrir a cabeça … a mulher deve ter sobre a cabeça sinal de poderio” (I Co 11:7, 10). Mesmo reconhecendo que há coisas profundas no trecho que estamos considerando, é muito claro que o ensino básico da passagem é este. Como diz o dr. N. J. Gourlay: “Podemos parafrasear as instruções assim: é a vontade de Deus que, nas reuniões do Seu povo, os homens tenham a cabeça descoberta e as mulheres tenham uma cobertura sobre suas cabeças, e que os homens tenham cabelo curto e as mulheres cabelo comprido” (Church Symbols for Today, págs. 121-122).

A Surpreendente Arca

O texto abaixo é um dos capítulos do livro “E Disse Deus…”, de autoria do dr. Farid Abou-Rahme, publicado pela Editora Sã Doutrina. [comprar]


Quando eu era criança, contaram-me a história do dilúvio Bíblico. Era fascinante tentar imaginar Noé e sua arca e todos aqueles animais. Ao mesmo tempo era assustador pensar nas pessoas que ficaram do lado de fora quando Deus fechou a porta da arca e as águas do dilúvio começaram.

Autonomia e Autoridade

O texto abaixo é a íntegra do livrete de mesmo título publicado pela eSd [comprar]


Prefácio

A natureza distinta que a igreja local possui é claramente ensinada no Novo Testamento. Apesar disto, os séculos passados registram os ataques satânicos à verdade básica do governo na igreja local. Por um lado, o ministério centralizado num único homem, tão comum na cristandade, é um desvio grande do padrão divino; e, infelizmente, onde houve um retorno considerável à simplicidade do Novo Testamento neste assunto, houve também, em alguns lugares, o estabelecimento de uma “liderança regional”, igualmente contrária à vontade revelada de Deus.

O Big Bang ou a Grande Crença?

O texto abaixo é um dos capítulos do livro “E Disse Deus…”, de autoria do dr. Farid Abou-Rahme, publicado pela Editora Sã Doutrina. [comprar]


“Ele [Deus] fez a terra pelo Seu poder” (Jeremias 10:12).

A Ceia do Senhor

O texto abaixo é a íntegra do livrete de mesmo título publicado pela eSd [esgotado]


Há muitas coisas, nesta vida e neste mundo, que exigem nossa atenção. Para o cristão que vive em comunhão com Deus, porém, sempre será uma prioridade tomar o seu lugar ao redor de uma mesa com um pão e um cálice com vinho, todo primeiro dia da semana, contemplando os símbolos do seu Senhor crucificado, e ouvindo o eco das palavras ditas por Ele na noite em que foi traído: “Fazei isto em memória de Mim”. Nenhuma atividade, secular ou espiritual, irá intrometer-se na vida daquele filho de Deus a tal ponto de levá-lo a esquecer-se daquele compromisso semanal. Para o coração que anda em comunhão com Deus, a Ceia é uma festa sem igual, uma oportunidade ímpar de ocupar-se somente com o Senhor Jesus Cristo, oferecendo sua gratidão, seu louvor, e sua adoração Àquele que é “mais sublime do que os céus” (Hb 7:26), antecipando nossa ocupação eterna.

É a Ceia do Senhor Que Tomais?

“De sorte que quando vos ajuntais num lugar, não é para comer a ceia do Senhor” (I Coríntios 11:20).

Evidências que Exigem um Criador

O texto abaixo é um dos capítulos do livro “E Disse Deus…”, de autoria do dr. Farid Abou-Rahme, publicado pela Editora Sã Doutrina. [comprar]


Resumindo tudo: a evolução contradiz a ciência. Ela é uma religião, mas uma religião inferior e uma ciência inferior. O que a Terra realmente mostra é evidência de um Criador que nos criou à Sua imagem!

A História Esquecida

O texto abaixo é a íntegra do livrete de mesmo título publicado pela eSd [comprar]


Existem muitos livros, bem autenticados e bem detalhados, que contam a historia do cristianismo, desde o seu começo humilde em Jerusalém (At 2:41) até ao dia de hoje. Falam do seu desenvolvimento e das suas divisões; mostram a origem e a história das inúmeras denominações que professam ser a Igreja, ou uma parte dela.

Reunidos em Seu Nome

“Porque onde estiverem dois ou três reunidos em Meu nome, aí estou Eu no meio deles” (Mateus 18:20)

Em Memória de Mim...

Lembrar do Senhor não é lembrar só da Sua morte. Leitura: Lc 22:19; I Co 11:24 e 25

Obrigada, Irmão!

Nossa vida é tão corrida que poucas vezes nos lembramos de dizer “obrigado”. Não é que não somos agradecidos; é só que falta-nos o tempo para expressar nossa gratidão. Ciente disto, quero tomar alguns minutos para dizer, com muita sinceridade, “obrigada” aos meus irmãos em Cristo.

Obrigado, Irmã!

Nossa vida é tão corrida que poucas vezes nos lembramos de dizer “obrigado”. Não é que não somos agradecidos; é só que falta-nos o tempo para expressar nossa gratidão. Ciente disto, quero tomar alguns minutos para dizer um sincero “obrigado” às minhas irmãs em Cristo.

Obrigado, Pais!

Nossa vida é tão corrida que poucas vezes nos lembramos de dizer “obrigado”. Não é que não somos agradecidos; é só que falta-nos o tempo para expressar nossa gratidão. Ciente disto, e observando o bom exemplo de alguns, quero escrever algumas linhas para expressar minha gratidão a muitos pais cristãos.

Agora Que Você é Salvo...

Prezado irmão, foi muito bom ouvir que você nasceu de novo. Foi, sem dúvida, o passo mais importante da sua vida. A partir do instante em que você creu você tornou-se uma nova criatura (II Coríntios 5:17). Antes morto em delitos e pecados (Efésios 2:1), você agora tem vida espiritual. Antes seguindo o curso deste mundo (Efésios 2:2), você agora segue a carreira cristã. É agora que você realmente começou a viver!

Agora Que Você é Salva

Prezada irmã, foi muito bom ouvir que você nasceu de novo. Foi, sem dúvida, o passo mais importante da sua vida. A partir do instante em que você creu você tornou-se uma nova criatura (II Coríntios 5:17). Antes morta em delitos e pecados (Efésios 2:1), você agora tem vida espiritual. Antes seguindo o curso deste mundo (Efésios 2:2), você agora segue a carreira cristã. É agora que você realmente começou a viver!

Os Atributos Inerentes de Deus

Transcrição de parte do livrete de mesmo título publicado pela Editora Sã Doutrina.

Eternidade — Onde?

Aonde você está indo? Onde estará amanhã? Onde estará nos anos vindouros? Você não tem certeza? Mas espere! Esta pergunta você precisa responder: onde estará na eternidade? É fundamental que você encontre a resposta para esta pergunta, pois dela depende seu destino eterno!

O perdão dos pecados

Há poucos dias um amigo me contou das dificuldades que tem enfrentado ultimamente. Finalizado o seu relato triste, ele disse: “Tenho sofrido muito nestes onze anos, e ainda estou sofrendo, mas isto não me abala. Pelo contrário, estou feliz; sei que estou pagando pelos meus pecados!“

Caminho errado

“Há caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte”. Parece direito — mas é errado! Deus deixou este aviso solene registrado na Bíblia para todos os seres humanos. Ele nos alerta, bem no início, que há um caminho que parece direito, mas não o é. É um caminho enganoso — pois aqueles que o seguem pensam estar caminhando para a vida eterna, e só encontram a morte — a morte eterna.

Importa o que se crê?

Não importa o que você crê, contanto que seja com sinceridade. Quantas pessoas dizem isto! Quantas pensam assim! Pensam que todas as religiões são boas, que todos os caminhos conduzem a Deus, que todos somos filhos de Deus!

Justificação

Considere os três versículos que estão no quadro ao lado, e você verá que Deus pode justificar o pecador! Ele pode não somente perdoá-lo, como também pode justificá-lo. E Ele pode fazer isto sem comprometer a Sua própria justiça, pois a Bíblia diz: “Para demonstração da Sua justiça neste tempo presente, para que Ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus.“

Deus responde às nossas perguntas

É verdade que eu terei de prestar contas a Deus?

“De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.” “Deus pede conta do que passou.“

Afinal, por que Ele veio?

Há mais de dois mil anos, Cristo Jesus veio ao mundo. Este é um fato histórico. Mas, por que Ele veio? A Bíblia responde: “Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores.“